HABITAÇÃO SOCIAL: FLEXÍVEL E EVOLUTIVA

Gleyse Ellen Costa Gomes

Resumo


O acelerado crescimento das cidades gera uma carga extra na carência de
infraestrutura e equipamentos, afetando significativamente o funcionamento do
município como um todo e prejudicando a qualidade de vida da população. O
problema habitacional e a ausência de adequações nas condições de moradia da
população de baixa renda são consequências disto, sendo necessário que se
promovam tentativas para minimizar a deficiência habitacional. Segundo a Fundação João Pinheiro, no Brasil, estima-se que 5,86 milhões de famílias sofrem com a falta de moradia digna ou com o ônus excessivo do aluguel urbano, deixando clara a necessidade de políticas públicas habitacionais. Muitas dessas famílias vivem em situações de moradia precária, que evidenciam residências com vulnerabilidade às condições de habitação. Sendo assim, o presente trabalho propõe analisar as construções de unidades de interesse social, que não siga a padronização e rigidez da arquitetura dos programas habitacionais da atualidade e, que supra as reais necessidades dos futuros moradores, fazendo com que a área cumpra sua função social e auxilie na diminuição do déficit habitacional do município com qualidade de moradia.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.